Conheça os 7 Pontos Importantes na Nova Economia


Afinal qual é a grande novidade da economia? Isto afeta o nosso dia a dia? Como devo me comportar? Ou Aprender?

A economia até Julho de 2015, possuía como característica principal as altas taxas de juros, representada pela Taxa SELIC e de lá para cá ela vem sofrendo um forte redução imprimindo uma mudança drástica em um curto espaço de tempo e como isto altera sua vida? Na verdade, a vida de todos nós e porque o governo vem alterando fortemente esta taxa, qual o motivo afinal se era mais confortável para todos, mas afinal o que precisamos saber sobre esta taxa.

1 ) A Taxa SELIC

A taxa SELIC é a taxa básica de juros da economia e o principal instrumento monetário de política monetária utilizado pelo Banco Central ( Bacen), sendo empregado para o controle de inflação, influenciando as demais taxas do país, como juros, empréstimo, financiamentos e aplicações financeiras. E como ela é originada? É a taxa de juros apurada nas operações de empréstimo de um dia entre instituições financeiras que utilizam títulos federais como garantia.


O seu nível é determinado pela SELIC meta definida na reunião do Comitê de Política Monetária do BC ( Copom ) e semanalmente é gerada uma estimativa do nível desta taxa através de informações de mercado e consultas a especialistas.

A variação desta taxa estabelece a rentabilidade dos títulos bem como o custo de captação dos bancos alterando assim todas as taxas do sistema financeiro de modo geral. Como o instrumento de política monetária, quando aumentamos o seu nível, encarecemos as operações e juros tornando a economia mais cara desestimulando o consumo e queda da inflação e em contrapartida a sua redução como o momento que vivemos hoje, torna a economia mais barata e assim maior estímulo ao consumo.


2 ) A Controvérsia do Juro Barato

Analisando esta nova situação, independente do setor seja financeiro, agronegócio, serviços ou indústria, a economia está mais barata, as taxas de juros de financiamento, crédito ou mesmo o rotativo, seja cartão de crédito ou cheque especial encontram-se em seu patamar mais baixo historicamente e assim é motivo para comemoração, com certeza.

Mas afinal qual é a grande controvérsia desta nova realidade, afinal tão positivo? Esta no fato em que quando possuíamos uma alta taxa de juros, pequenos erros que eram cometidos e até mesmo se entregar a atalhos mentais ou heurísticas, eram facilmente absorvidos, uma vez que estes eram originados pela tomada de decisão equivocada e assim acabavam por ser camuflados na ampla margem da rentabilidade real neste período, o que não é uma realidade nos dias de hoje e assim este processo deve ocorrer de forma mais planejada, considerando adequadamente os custos de cada operação inclusive as financeiras, evitando assim impactos sobre a rentabilidade da operação.

Falando de operações financeiras, o investidor agora deve analisar mais adequadamente os custos de cada operação, chegando ao seu resultado real, deixando o velho costume citar somente a rentabilidade nominal, como era comumente adotado como prática no mercado. Afinal o que é interessante para o investidor quando falamos e este pode ser qualquer um de nós, com qualquer volume de investimentos ou aplicação financeira, porque agora mais e mais a cada dia, nesta economia, mais barata, importa o que fica no final o que rendem realmente.


Clique no Link Abaixo e Descubra o seu Perfil de Investidor

https://forms.gle/mQePCjEr41RHuapY9

3 ) Taxa Nominal e Real

Comumente no mercado, quando contratamos qualquer serviço financeiro, seja crédito ou até aplicações e investimentos, normalmente a instituição financeira, fornece a taxa nominal e não por má fé, simplesmente porque é a taxa que é contratada. Assim como praxe legal, a instituição fornece a informação da taxa contratada, que agora com o nível da taxa Selic no mercado, não é tão elevada como no passado, não devendo se assustar com níveis mais baixos do que estava acostumado. Devendo então alterar o comportamento e checar com produtos da mesma classe de investimentos, considerando assim a posição em relação a posição real do mercado.


Mas voltando sobre a diferença destas taxas, traz uma mudança fundamental ao investidor, uma vez que sobre a taxa real, o investidor agora deve considerar o desconto de todas as taxas financeiras, chegando assim a tão procurada Taxa Real, ou seja, o real retorno sobre o seu capital investido. Deve-se tomar atenção, pois aquelas aplicações tradicionais do mercado, agora com a economia funcionando de forma mais barata, podem trazer como problema rentabilidades próximas a zero ou até negativas, dependendo principalmente do nível de inflação no período, podendo assim você está perdendo dinheiro sem notar.

Desta forma, a nova economia impõe agora a todo cidadão um maior planejamento e conhecimento de impostos, taxas de suas aplicações e a inflação do período sobre a pena de até chegar a perder dinheiro, dependendo de sua aplicação ou investimento, o período que foi realizado e perfil do produto investido.


4 ) A Urgência do Planejamento

A função de planejamento por muito tempo tem sido negligenciada no pais, estando disponível e aplicada em corporações de médio e grande porte e muitas vezes sobre a tutela de gerentes de projetos e muitas vezes, pela característica do mercado até agora, adotando margens de segurança mais elevadas e o que se chama de planejamento nestas, nas demais empresas esta mais direcionado para o controle de fluxo de caixa e todo este comportamento era e ainda é para algumas empresas e pessoas, que pela alta taxa de juros do pais, no passado recente permitia que erros que ocorressem fossem absorvido pela margem que era proporcionada no mercado.


Neste novo cenário, pelas suas características próprias com a redução da taxa de juros e consequentemente de retornos financeiros e margens, impõe agora uma urgente mudança de comportamento do mercado, necessitando de readequação de níveis de produtividade principalmente planejamento, pois agora nesta nova realidade, necessitando readequação, permitindo segurança, mesmo com estas margens mais apertadas em comparação com o passado recente.

Desta forma, temas como o planejamento e mesmo um plano de ação irá se tornar uma ferramenta mais presente no nosso dia a dia, sendo no meio empresarial ou pessoal. Neste ambiente, cálculo de margens, conhecimento de taxas e impostos e sua ação sobre rendimentos, irão se tornar temas mais corriqueiros e necessários para a sobrevivência e readaptação a novas realidades.


5 ) Descubra os Ativos Financeiros

O brasileiro, pela sua própria formação por décadas em investimentos, adquiriu o hábito de investir principalmente em ativos reais e porque isto? Este comportamento esta incorporado no brasileiro, desde a década de 50, quando o governo brasileiro edita um ordenamento jurídico chamado popularmente de Lei da Usura, onde limitava o ganho de qualquer aplicação ou 12% e assim, todos iniciaram no investimento na aquisição de ativos físicos, uma vez que era forma de assegurar os ganhos, principalmente pela valorização destes. Este hábito praticamente, se incorporou ao DNA do investidor brasileiro, tornando-se hoje uma verdadeira tradição e chegando ao ponto, do país possuir mais de 6,0 milhões de imóveis desocupados no país.

No entanto, dentro da nova realidade de mercado, necessita-se também uma readequação desta tradição, uma vez que além do mercado possuir agora taxas mais baixas, o numero de imóveis desocupados é superior ao déficit habitacional do pais assim, naturalmente deverá haver uma queda no valor destes, perdendo assim a grande vantagem da valorização do ativo, podendo ainda existir viabilidade para aqueles adquiridos em leilão. Sendo assim, os ativos reais ou físicos voltam a tomar sua posição real na composição de uma canteira de investimentos, ou seja, garantir o curto e médio prazo e os ativos financeiro assegurando os ganhos de longo prazo.


6 ) A Novidade das Carteiras de Investimentos

Quando falamos sobre carteiras de investimentos, logo a maioria das pessoas relacionam este termo com uma carteira de ações com no máximo ações de vários setores, mas a real estrutura deste instrumento esta em um estudo aprofundado de perfil de risco, necessidades, metas e objetivos e por final, analise de correlação que cumpre todas as exigências nas premissas do estudo, ou seja, uma carteira de investimento é um arranjo de vários ativos, envolvendo diversos níveis de risco, permitindo o melhor equilíbrio entre risco e rentabilidade atendemos os objetivos e metas do investidor. Considerando economias mais evoluídas do primeiro mundo, este instrumento vem sendo empregado por longos anos, pelo menos desde a época da década de 50, quando foi desenvolvida a Moderna Teoria de Montagem de Portfolios por Markowitz, necessitando atualizações, principalmente quando consideramos os investidores individuais.



Outro grande mito do mercado, esta naquele onde os investidores arrojados, ou seja, que aceitam o maior nível de risco em suas carteiras, possuem somente ativos de alto risco em suas carteiras do investimento, no entanto mesmo estes investidores, que buscam o risco e a máxima remuneração de seu capital investido, ainda assim estes possuem ativos de menor risco em suas carteiras e assim menor rentabilidade mas garantindo maior segurança e estabilidade principalmente no horizonte de longo prazo.


7 ) A Controvérsia da Renda Variável

Embora um grande volume de cursos, treinamentos e dicas que encontramos no mercado e redes sociais, nos direcione para uma possível tradução como de perfil permanentemente como especulador, mas com certeza não é tão simples, então entenda em pouco mais sobre este controverso mercado.

Inicialmente, você deve reconhecer que se realmente busca aumento de capital e muitas vezes expressivo a sua carteira deve apresentar algum nível percentual composto por produtos desta classe que podem ser, ações, derivativos, opções, mas não necessariamente você necessita estar especulando e como assim então? Para você entender melhor, este mercado está em sua maioria lastreado em derivativos que possuem a função de estabelecer segurança de preços ou um percentual societário, de uma empresa e assim pensando dentro destas características básicas. No longo prazo dentro do perfil de cada produto o investidor investe no crescimento de empresas, sendo este o caminho de menor risco, uma vez que bem avaliado. No entanto, por algumas outras características do mercado diário com variações de volatilidade pode agir tomando por operações de compra ou venda de preço das ações e neste modo, o investidor toma o perfil particular de um especulador.

Além desta característica de classe dos produtos participantes e a forma de operar dos investidores participantes é importante notar que o mercado diferente da renda fixa, trabalha principalmente com tendência e contra tendência e assim embora possa se encontrar em uma tendência de alta, normalmente ira ocorrer sua contra tendência em direção contraria e da mesma forma se ocorrer uma tendência de baixa. Sendo assim, os novos investidores deste mercado, devem estar sempre atentos e prontos comportamentalmente para este novo ambiente, evitando assim a operação indesejável de compra na alta e venda na baixa que irá provocar a erosão dos recursos do investidor, chegando até a possível inviabilização da operação, necessitando assim uma completa mudança do comportamento, saindo da confortável posição que ocorria no passado recente no mercado de renda fixa, para este novo e dinâmico mercado de renda variável.


Os instrumentos de avaliação e participação no mercado, depende também da forma como você decide operar no mercado, uma vez definido por exemplo a operação como investidor, você deve buscar as ferramentas de base fundamentalista com analise de balanços e resultados contábeis e financeiros das empresas, selecionando assim as melhores opções de empresas no longo prazo. Por outro lado, se houver escolha por operar como especulador na compra e venda de preço de ações, seja no período de tempos diários ( daytrade ) ou em tempos maiores ( swingtarde ), neste perfil de operação, deve-se lançar mão de ferramentas operacionais com análise gráfica e interpretação e assim a previsão de ocorrência de tendências e contra tendências. Desta forma, até na forma de operar escolhida, demonstra a dinâmica e complexidade do mercado e as ferramentas disponíveis para o sucesso na operação em cada perfil.

Sendo assim, este mercado dotado de grande dinâmica permite ao investidor escolher entre dois métodos básicos de operar o mercado, seja como investidor, buscando a valorização das empresas ou dividendos ou como um especulador, atuando diretamente no preço do ativo ou derivativo, procurando sempre comprar na baixa e venda na alta do mercado, que pode ocorrer em diferentes tempos de mercado, desde um daytrader até um operador no tempo de Swingtrade.

Como você pode ver, a forma e o nível de risco que você quer atuar na Bolsa só depende de você, como investidor ou especulador. Sendo assim, este mercado dinâmico mostra sua característica superando a visão simplista que se trata unicamente como um mercado especulador, embora deva-se atentar que o investidor necessita desenvolver também um melhor controle de seu comportamento.

Concluindo estes são os 7 pontos básicos que você necessita compreender urgentemente, uma vez que a redução da taxa SELIC, ocorreu de forma rápida e podemos considerar também abrupta, necessitando assim o rápido desenvolvimento de um novo comportamento do investidor, uma vez que as soluções do passado não conseguem mais apresentar o mesmo desempenho nos dias atuais. Como regra geral, neste novo ambiente, você necessita estar focado sobre alguns temas como Diversificação, Risco x Rentabilidade, Carteiras de Investimentos e a forma de alinhar e agregar todos estes instrumentos para atingir os seus objetivos e metas de vida.

#Investimentos #financaspessoais #selic #planejamento #ativosfinanceiros


48 visualizações
Envie sua Mensagem

Celular: ( 61 ) 98324-2223

E.Mail: ctn@agrocapitais.com.br