MERCADO HOJE – NACIONAL – 29/07/2020

COMENTE – COMPARTILHE

Fragmentação do Centrão: Após o anúncio da desbandada do DEM e do MDB do bloco que integra os vários partidos do Centrão, mais notícias sobre o rearranjo das alianças entre as siglas na Câmara dos Deputados começam a surgir. Uma aproximação entre o PSL, PSC, PTB e PROS, quatro partidos que comandam 71 cadeiras na Casa Baixa, deve resultar em novo bloco parlamentar. Assim como o MDB e DEM, o PTB e PROS estão entre as siglas que pretendem deixar o bloco de articulação do Centrão. Governo observa de fora: É importante frisar que a movimentação não reflete o posicionamento das siglas frente ao governo e sim uma disputa interna dentro do Legislativo por cargos e relatorias entre os próprios deputados. Dito isso, a aproximação entre o governo e Centrão criou um lócus de poder que influenciou a maneira como os partidos se relacionam. A crescente pulverização causada pelo exodous de siglas do bloco do Centrão aumenta o grau de incerteza sobre a eleição presidencial na Câmara que ocorrera no início do ano que vem. Eventualmente, estes vários grupos devem competir e formar alianças entre si, com o governo e com o bloco da oposição para disputar espaço na Mesa Diretora da Câmara. Apoio para pequenas e médias empresas: O Senado deve votar amanhã a MP 975/2020, que cria programa emergencial de crédito para pequenas e médias empresas. A MP estabeleceu o governo federal como garantidor de empréstimos de R$ 20 bi para estes empreendimentos. Os recursos complementarão o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Aras quer fim do lavajatismo: O procurador-geral da República, Augusto Aras, declarou durante um evento virtual realizada ontem que “o lavajatismo há de acabar”. Aras também afirmou que era necessário substituir a cultura de “punitivismo” da operação. A declaração vem na esteira de embates tidos com a força-tarefa da operação em Curitiba, que resultou em vários procuradores pedindo demissão após Aras solicitar informações sigilosas sobre a investigação em curso. O discurso remete às críticas feitas logo após a nomeação de Aras, cujo nome surgiu de fora da lista tríplice, e gerou um grande mal-estar entre a base do presidente da República pela sua associação com políticos do PT e seus comentários cítricos sobre o combate à corrupção. A queda de braço entre Aras e os procurados da Lava Jato ocorre enquanto a investigação do MP do RJ, que almeja o senador Flávio Bolsonaro, continua a pairar sobre o presidente e após a saída do maior representante do combate a corrupção do governo, o ex-ministro Sergio Moro.Fonte: Relatório GUIDE

Sobre o fechamento do último pregão: Ibovespa: 104.109 (-0,35%) BR$/US$: 5,15 (+0,04%) DI Jan/27: 6,27% (+1 bps) S&P 500: 3.218 (-0,65%)

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg



0 visualização
Envie sua Mensagem

Celular: ( 61 ) 98324-2223

E.Mail: ctn@agrocapitais.com.br