MERCADO HOJE - NACIONAL: BRASIL: GOVERNO DEMITE A CHEFE DE MONITORAMENTO DO DESMATAMENTO

COMENTE - COMPARTILHE


Governo demite chefe de monitoramento do Inpe...No mesmo dia em que o vice-presidente Hamilton Mourão foi ao Senado prestar esclarecimentos sobre a atuação do governo para reduzir o desmatamento, o governo optou por exonerar Luba Vinhas, a chefe de monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A demissão ocorre na esteira de um alerta feita por Vinhas em torno do desmatamento observado na Amazônia durante o mês de junho. Os 1.034,4 km² representam um recorde mensal na série histórica iniciada em 2015. O governo vem sendo pressionado por investidores externos e outros países, em principal os da Europa, para reduzir o desmatamento na Amazônia.

Mourão apoia debate da nova CPMF...Ontem, o vice-presidente Hamilton Mourão expressou o seu apoio a uma discussão que debate os impactos de um imposto sobre transações financeiras “Eu acho que tem que ser discutido”, declarou Mourão. A ideia tem sido reerguida em várias ocasiões desde a eleição do presidente Bolsonaro, mas sempre se torna alvo de muitas críticas e eventualmente esquecida pela equipe econômica. O presidente já se posicionou contra. Até então, a ressuscitação da CPMF é a única alternativa concebida pelo Ministério da Economia que possibilitaria a redução dos tributos que pesam sobre a folha de pagamento. Segundo o ministro Paulo Guedes (Economia), o fim dos excessivos encargos trabalhistas que encarecem a folha poderia gerar 20 milhões de empregos.

RJ registra menos casos...Segundo levantamento feito pelo jornal Globo, 72 dos 92 municípios (86%) do RJ registraram queda nos casos confirmados de coronavírus na semana passada em comparação com a semana anterior, sugerindo um achatamento na curva epidemiológica. Na capital do estado, foi registrado uma queda tanto no número de casos quanto no número de mortes. Um dos poucos munícipios que caminha na direção contrária é Macaé, localizado no norte do estado.

Imunidade de rebanho...A tendência positiva no terceiro mais populoso estado do Brasil vem em meio a discussões sobre uma possível aproximação da imunidade de rebanho, estágio da evolução da doença onde o contágio do vírus se reduz quando o volume de pessoas imunizadas começa a quebrar os elos na corrente de transferência da doença. No início da pandemia, a expectativa era que esta etapa só seria alcançada quando 60% ou 70% dos Brasileiros contraíssem o vírus, mas agora alguns epidemiologistas teorizam que este conceito já pode surtir efeitos positivos quando uma parcela muito menor (30%) da população apresenta resistência ao vírus.

Fonte: Relatório GUIDE



0 visualização
Envie sua Mensagem

Telefone: ( 61 ) 3045-6117

E.Mail: ctn@agrocapitais.com.br